Autor Tópico: 15ª Leitura Conjunta - Acácia: Presságios de Inverno - 3ª Fase  (Lida 2935 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Smirlah

  • Administrator
  • Bibliófilo
  • *****
  • Mensagens: 16630
    • Ver Perfil
Esta foi a parte do livro de que mais gostei embora tenha os mesmos deifeitos que todas as outras. Apenas aconteceram mais coisas para prender a atenção do que nas fases anteriores.

Aqui começamos com as descrições dos confrontos entre exércitos. Novamente assistimos a umas quantas coisas bastante irrealistas como a performance de Mena, para não variar, mas felizmente foi muito mais realista que aquele primeiro confronto no livro anterior. Pergunto-me também como é que nunca ninguém se lembrou de fazer uma emboscada durante a noite ao outro exército... gente muito certinha aquela...  ::)

Infelizmente, para mim, apanhei um spoiler há uns tempos e a morte de Alivier não veio como uma surpresa para mim mas o que é que vocês acharam desta?

A parte mais irrealista no que toca a esta fase foi Corinn. Já na fase anterior começamos a comentar a mudança um tanto para o abrupta de personalidade dela mas aqui, especialmente no fim, vemos as coisas irem mais longe. Não sei se podemos justificar parte das suas acções graças à tentação que o livro A Canção de Elenet deve ter sido, mas acho que não. É engraçado como podemos pensar que caso esta não tivesse querido o livro só para si, talvez o Alivier tivesse sobrevivido (apesar de também ser um tanto para o irrealista o Thaddeus conseguir fazer aquela viagem toda tão rapidamente como fez).

Até gostei das maquinações que a Corinn consegiu fazer de forma a voltar a tomar o castelo e acho que seriam bastante plausíveis não fosse o facto de o narrador sublinhar o facto de ela antes não ter grandes contactos com os criados e afins. Com isto apenas conseguiu tornar algo plausível em algo pouquíssimo verosímil. Ninguém consegue mudar de atitude de tal forma sem se notar e começar a suspeitar...

No final, temos esta tornada na personificação da arrogância fria. No contexto geral da história parece-me bem enquandrado e apropriado mas tendo em conta a evolução que esta fez como pessoa, é mais uma daquelas coisas de revirar os olhos.

O Dariel, por sua vez, consegiu ter um impacto praticamente nulo nesta última parte. Pareceu-me que ele estar ali ou não estar era quase o mesmo visto que a única coisa que fez foi dar a ordem para matarem Maender.

A Mena continuou a mesma de sempre, desde que o autor a tranformou numa espécie de Deusa guerreira, mas também achei um tanto para o abrupta a relação dela com Mélio. Quer dizer, poderia ter explorado bem a coisa quando estes andavam a treinar juntos e feito a tensão crescer até um ponto em que se tornasse bastante plausível o desfecho que deu durante as batalhas mas da forma como o fez foi apenas mais uma daquelas situações em que evitou descrever algo que seria mais complicado de o fazer...

E vocês que acharam?

Offline p7

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 3003
    • Ver Perfil
Re: 15ª Leitura Conjunta - Acácia: Presságios de Inverno - 3ª Fase
« Responder #1 em: Agosto 23, 2012, 00:43:23 am »
Estava a "cozinhar" a opinião do livro para o meu blogue quando me dei conta que me esqueci de comentar aqui. :-[ Deixo em caixa de spoiler no fim do post o que achei do livro em geral; no entanto deixo aqui alguns pontos desta fase:

- achei toda a parte da batalha mais interessante do que o que se tinha passado na fase anterior. Tal como tu, Smirlah, fui spoilada sobre o que ia acontecer ao Aliver ao folhear o livro. O resultado foi - achei a morte dele, er, parva, em vez de trágica. As reacções da Mena e do Dariel foram mais cativantes.

- a Corinn? Continuo a achar uma que teve uma brusca oscilação de posicionamento na história, mas por outro lado estive à espera desde o início que ela tivesse um momento destes, por isso não foi propriamente surpresa. Fiquei apreensiva com a atitude dela para com a Mena no funeral. Senti que ela vai continuar a tratar os irmãos como miúdos, como fazia há... 9 anos (?). O Aliver pareceu aceitar e tratar os irmãos como adultos muito mais facilmente.

- no fim de contas achei o David Anthony Durham mais fraco como escritor do que estava à espera. Existem demasiadas coisas na construção da história que não funcionam bem, e a divisão em dois do livro não ajuda. Esta segunda parte tem a letra gigante e um espaçamento maior do que o normal. Não faz sentido haver um segundo livro, e preferia ter lido tudo de enfiada. (Podia ignorar as imperfeições do livro mais facilmente. ::)) A sensação com que fico é de um certo desapontamento - há tantos elogios por aí que estava à espera de gostar muito mais do que gostei.

Spoiler (click to show/hide)

Offline Joana

  • Leitor Inveterado
  • ***
  • Mensagens: 207
    • Ver Perfil
Re: 15ª Leitura Conjunta - Acácia: Presságios de Inverno - 3ª Fase
« Responder #2 em: Agosto 29, 2012, 00:48:49 am »
Só consegui terminar hoje este livro  :-[ desculpem por não cumprir as datas. Para além da falta de tempo o entusiasmo no livro também era pouco  :-\

Bem, apesar de no geral o livro ter imensas falhas, existiram partes em que cativa bastante e faz virar mais páginas.

Ao contrário de vocês, eu não apanhei nenhum spoiler, então a morte do Aliver foi uma surpresa. Apesar de estar à espera de alguma coisa trágica, nunca pensei que fosse o futuro rei. No entanto, isto permitiu uma reviravolta envolvendo Corinn. Não gostei da mudança drástica de atitude que teve nem da frieza com que tratou os irmãos. A tomada do palácio foi confusa, de repente ela tinha muitos aliados para a ajudar, para não falar da rapidíssima viagem de Thaddeus que a ajudou a desencadear o ataque.

A guerra esteve bem relatada, gostei muito do envolvimento dos Santoth mas podia ter sido mais aprofundado a parte em que eles se libertam e como o conseguem, uma vez que precisavam da Canção de Elenet para isso.

Concordo contigo Smirlah, o Dariel teve pouca importância neste última fase. Pensei que depois da ordem sobre o exército talvez ele se tornasse o substituto de Aliver. Apesar de ser mais novo, teria tudo para se tornar igual ao irmão.

Concluindo, uma boa história que tinha tudo para se tornar num bom livro, mas que a meu ver perdeu muito na narrativa e em "saltar" algumas partes que seriam importantes para uma leitura mais fluída. Tinha as expectativas bastante elevadas por ler tão boas criticas, mas fiquei realmente desiludida com o livro. Penso que a divisão do livro prejudicou ainda mais a fluidez da leitura.

O fim deixa continuação para um novo volume e desenrolar da história, e novamente a lembrança dos Lothan Aklun que continuamos sem fazer ideia do que são.