Autor Tópico: As Fogueiras de Deus  (Lida 7386 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline admin

  • Administrator
  • Leitor de Fim de Semana
  • *****
  • Mensagens: 96
    • Ver Perfil
    • http://www.saidadeemergencia.com
As Fogueiras de Deus
« em: Março 05, 2008, 12:15:01 pm »


Um romance fantástico sobre estranhas aparições no Portugal medieval... e o que a Inquisição está disposta a fazer para as combater

Em Portugal, onde a Inquisição é a única detentora da verdade, o padre Manoel Pessoa começou a escutar estranhas confissões dos habitantes de Quintas, um povoado perto de Mafra. Falam de inexplicáveis luzes no céu... De anjos que se deitam com as mulheres da aldeia... De virgens que dão à luz....
Mas o mais estranho é que algumas pessoas, incluindo Sua Majestade, o rei Afonso, viram um navio em chamas a cair dos céus. Do seu interior surgiram criaturas fascinantes no seu silêncio e grandiosas na sua estranheza. Serão anjos com a palavra de Deus? Ou serão demónios enviados para desviar as pessoas da verdadeira fé?
Inquisição está determinada a descobrir a verdade... e talvez não falte muito para que o cheiro das suas fogueiras se espalhe pelo reino.

Para ler um excerto clique aqui:
« Última modificação: Março 29, 2012, 23:37:35 pm por Smirlah »

Offline Magnus

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 4277
  • O Senhor Luvas
    • Ver Perfil
    • O Senhor Luvas
As Fogueiras de Deus
« Responder #1 em: Agosto 31, 2008, 22:30:16 pm »
Adorei  :D  Uma historia simplesmente genial e muito bem escrita. a simples ideia de colocar extraterrestes no tempo da inquisição é fantastica. Só tenho pena de não ter lido o livro mais cedo, é que já o tinha "namorado", mas por alguma razão tinha ficado para tras.
O Senhor Luvas
mais que um blog de literatura

Offline pco69

  • Leitor Inveterado
  • ***
  • Mensagens: 358
    • Ver Perfil
As Fogueiras de Deus
« Responder #2 em: Novembro 10, 2008, 15:33:07 pm »
Que raio de extraterrestres que vão para a prisão e posteriormente para a fogueira sem sequer reclamarem.....

A premissa é engraçada. Uma nave espacial, despenha-se em Portugal no periodo da inquisição, embora a utilização dessa nave no romance e sobretudo, dos seus tripulantes....é um bocado idiota....

No entanto, vale a pena ser lido como um romance histórico, porque essa parte está bem conseguida.

Offline Magnus

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 4277
  • O Senhor Luvas
    • Ver Perfil
    • O Senhor Luvas
As Fogueiras de Deus
« Responder #3 em: Novembro 11, 2008, 21:20:15 pm »
Não querias por acaso que eles disparassem raios pelos olhos!!!
Podemos não concordar em tudo mas tens de admitir que os primeiros capitulos são hilariantes, eu pelo menos fartei me de rir :lol:  :lol:  :lol:
O Senhor Luvas
mais que um blog de literatura

Offline pco69

  • Leitor Inveterado
  • ***
  • Mensagens: 358
    • Ver Perfil
As Fogueiras de Deus
« Responder #4 em: Novembro 20, 2008, 11:29:52 am »
Citação de: "Magnus"
Não querias por acaso que eles disparassem raios pelos olhos!!!
Podemos não concordar em tudo mas tens de admitir que os primeiros capitulos são hilariantes, eu pelo menos fartei me de rir :lol:  :lol:  :lol:


E vão para o matadouro que nem vacas? Que raio de seres é que conseguem atravessar o cosmos em naves espaciais e nem se apercebem que estão presos? E já agora, teriam vindo numa nave tão pequena? Não haveria uma "nave mãe" à sua espera? E vêm explorar um planeta diferente do seu, habitado por criaturas inteligentes e nem uma miseravel arma trazem? E nem esboçam uma tentativa de comunicação? Se não falam, tentam fazer-se compreender com as mãos, cons os pés, com qualquer coisa! É o minimo que se espera de criaturas inteligentes!

O que eu acho é que os "extraterrestres" foram colocados num romance histórico, de forma a que a escritora o conseguisse vender. A ideia com que fico, é que estão no livro pura e simplesmente por acaso. Se lá não aparecessem, a história poderia ser feita de igual maneira. Por exemplo, criar uma vaca que tivesse nascido com duas cabeças. Isso faria logo a inquisição "desconfiar" que era "obra do Demo" e seguir a história a partir daí...

O livro vale pelo aspecto de romance histórico passado em Portugal. Pela parte de Ficção Cientifica....não justifica a compra!

Offline Fiacha

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 15386
  • Corvo Negro
    • Ver Perfil
Re: As Fogueiras de Deus
« Responder #5 em: Outubro 01, 2010, 17:59:34 pm »
Mistura entre ficção científica e história alternativa, As Fogueiras de Deus (de título original God's Fires) decorre em Portugal, durante o reinado de D. Afonso VI, um rei com algumas limitações intelectuais. Com um rei fraco, o poder da Igreja torna-se mais forte e faz-se sentir através da Inquisição. Fornicações - esta é a primeira palavra do livro, utilizada para descrever o pecado com que se confessa D. Inês, a última pessoa de quem o padre Manoel Pessoa esperava ouvir tal palavra. Ainda por cima, com um anjo. Manoel Pessoa é um padre jesuíta que pertence à Inquisição e viaja de terriola em terriola. Quando chega a Quintas, um povoado perto de Mafra, nada o prepara para encontrar, para além do relato de D. Inês, outros de encontros com anjos e aparições, envolvendo duas jovens raparigas, uma de barriga extremamente inchada e virgo intactus. Depois de ouvir as novidades, Pessoa resolve relaxar em casa da amante, de origem judia, mas convertida, de quem os populares têm medo como se fosse uma bruxa, e não olham nos olhos. Entretanto, o rei parte para ver os moinhos de vento, numa época em que decorre uma invasão, acompanhado pela escolta e alguns criados, de onde se destaca Jandira, uma escrava brasileira que o segue sempre e o ajuda nas decisões diárias, como escolher o que vestir ou o que comer. Perto de Mafra o rei visualiza o que pensa ser uma estrela cadente, e desloca-se para observar. Encontram, no entanto, uma nave extraterrestre caída, de onde saem 3 pequenos seres esguios de olhos pretos translúcidos, que, claro, os homem daquela altura tentam identificar, ora como anjos, ora como animais das américas catapultados pelos espanhóis, ora como demónios. Na vila já se encontra Gomes, o inquisidor-mor, para investigar as histórias heréticas que se ouvem em Quintas. Com vários momentos cómicos e dementes que se intercalam com comentários que roçam o sarcasmo e a ironia, é um livro que nos prende desde a primeira frase, não fosse esta o início da descrição dos pecados de D. Inês. É, também, uma história bastante melancólica: entre a Inquisição e os extraterrestres descobrem-se mentiras e graves heresias, às quais o Inquisidor-mor resolve fazer mão pesada, incorrendo, até, em ilegalidades durante o julgamento. Em Portugal, o livro foi publicado pela Saída de Emergência existindo também uma edição especial.

Para seguir no blogue Rascunhos:

http://acrisalves.wordpress.com/2010/08/17/as-fogueiras-de-deus-patricia-anthony/
Livro a ler: O Cavalo de Outubro de Collen McCuloough 6º volume da saga 1º Homem de Roma

Offline Ammar Ibn Khairin

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 1765
  • O descendente do Corvo Negro
    • Ver Perfil
Re: As Fogueiras de Deus
« Responder #6 em: Maio 22, 2014, 12:53:00 pm »

Offline pco69

  • Leitor Inveterado
  • ***
  • Mensagens: 358
    • Ver Perfil
Re: As Fogueiras de Deus
« Responder #7 em: Maio 27, 2014, 14:54:42 pm »
Comentário ao livro...quero ler sem duvida :)

http://leiturasdofiachaocorvonegro.blogspot.pt/2014/05/as-fogueiras-de-deus-de-patricia-anthony.html#comment-form
Li esta entrada no blog e as sequentes mensagens (incluindo a excelente do Barreiros sobrer o processo tradutivo), mas mesmo depois de tanto entusiasmo, não altero a minha opinião. Como romance histórico é excelente. Como FC é uma mer....
 
 

Offline Ammar Ibn Khairin

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 1765
  • O descendente do Corvo Negro
    • Ver Perfil
Re: As Fogueiras de Deus
« Responder #8 em: Junho 06, 2014, 10:58:24 am »
Comentário ao livro...quero ler sem duvida :)

http://leiturasdofiachaocorvonegro.blogspot.pt/2014/05/as-fogueiras-de-deus-de-patricia-anthony.html#comment-form
Li esta entrada no blog e as sequentes mensagens (incluindo a excelente do Barreiros sobrer o processo tradutivo), mas mesmo depois de tanto entusiasmo, não altero a minha opinião. Como romance histórico é excelente. Como FC é uma mer....

Se a parte historica está boa já vale a leitura do livro, pois é das coisas que mais aprecio nos livros, mas a ler não é para já pois tenho muita coisa para ler e parte dela recomendação do Barreiros :)