Autor Tópico: Entrevista - Segunda Parte  (Lida 5138 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline CrisCor

  • Administrator
  • Rato de biblioteca
  • *****
  • Mensagens: 1040
    • Ver Perfil
Entrevista - Segunda Parte
« em: Setembro 29, 2008, 11:34:16 am »
Aqui fica a segunda parte da Entrevista. Espero que apreciem!


KP: De seguida, gostaria de lhe perguntar acerca da filosofia da escrita. Como vê o papel do autor, no geral, e do autor de fantasia, especificamente?
Anne: O Contador de Histórias segura num espelho que mostra um reflexo do mundo. E, nesse reflexo, somos distraídos por acontecimentos e pessoas que nos fazem rir, que nos fazem chorar, que fazem os nossos corações bater de excitação e medo ou deixam-nos encarar as verdades emocionais que seriam difíceis de encarar no mundo em que vivemos. As histórias são o pão da alma. Os Contadores de Histórias são os padeiros.  

KP: O surgimento da Internet redefiniu muitas vidas de muitos escritores, com o acesso rápido a material de pesquisa e, ao mesmo tempo, a distracções. No seu caso, considera que foi uma ajuda ou um estorvo aos seus empreendimentos?
Anne: O correio electrónico e os grupos de debate disponíveis na Internet possibilitaram-me o contacto com os leitores de formas que não eram anteriormente possíveis. O facto de possuir um sítio na Web significa que os leitores podem estar a par de novos lançamentos e podem ler excertos de um novo livro. Contudo, devido à profusão de informação disponível, alcanço a sobrecarga muito mais depressa na Internet do que se estiver a pesquisar nalguns livros, por isso não passo muito tempo online e raramente navego pela Internet.

KP: Gostaria agora e falar sobre o seu trabalho. Passaram dez anos sobre a data da publicação do primeiro dos livros das Jóias Negras. A Anne continua a explorar esse mundo e as pessoas que aí habitam. Pergunto se, para a Anne, esteve desde sempre tão completo como está agora ou existem elementos desse mundo que foi descobrindo ao escrever e que não faziam parte da ideia original?
Anne: A cultura ficou definida quando acabei de escrever o primeiro livro e isso não se alterou. Os Sangue são os Sangue. Por isso, o mundo não se altera, embora continue sempre a fazer novas descobertas sobre o povo e a história desse povo.

KP: O seu romance mais recente, Tangled Webs, é publicado este mês. Foi sempre uma história que esteve sempre presente na sua cabeça e que pretendia contar ou surgiu mais recentemente?
Anne: É uma ideia mais recente — talvez tenha surgido nos últimos 2, 3 anos. Gosto de ler policiais e comecei a pensar como seria escrever um policial numa casa fechada. Depois pensei em escrever uma obra de suspense em que as personagens ficam encurraladas numa casa assombrada. E depois perguntei-me: “O que aconteceria se alguém como Surreal ficasse encurralado numa casa assombrada?” A partir dessa ideia, comecei a reunir pensamentos sobre o que poderia acontecer e, quando terminei os livros da série Efémera, a ideia já tinha ganho forma a ponto de me permitir começar a escrever a história.

KP: Tem alguma personagem preferida nos Sangue? Talvez aquelas personagens que custa bastante magoar nas histórias?
Anne: Como grupo, é a família SaDiablo, mas sobressaindo ligeiramente a ponto de ser o favorito favorito, é Daemon. Se é difícil escrever as cenas em que um deles sai magoado? Oh, sim. Especialmente quando não há volta possível.

KP: Reparou nalgum favorito que se destaque entre os fãs?
Anne: Existem quatro que parecem exercer um peso idêntico entre os fãs: Daemon, Lucivar, Saetan e Surreal. Também se mostram bastante interessados na Karla.
KP: Surreal destaca-se em Tangled Webs. Parece cativar muitas pessoas. Tem alguma teoria sobre este fenómeno?
Anne: É uma mulher forte e intimidadora, bastante atrevida e segura (para não falar das facas afiadas). Da mesma forma, preocupa-se com os outros e investirá tudo o que tiver se for necessário para proteger alguém. Mas também tem vulnerabilidades. Essa combinação torna-a uma personagem divertida numa história.  

KP: Muitos escritores dizem que não conseguem reler o trabalho anterior sem sentirem a vontade de voltar atrás e escrever tudo de novo. À luz do tempo que levou a preparar o mais recente livro das Jóias Negras, se tivesse de reescrever a série original, mudaria alguma coisa?  
Anne: Teria de ponderar se a duração de vida das raças de longevidade prolongada seria tão longa. Para além disso, nada mudaria relativamente ao mundo ou às personagens.

KP: As histórias de Teias de Sonhos (Dreams Made Flesh) vieram colmatar alguns detalhes importantes e interessantes que faltavam na colecção original. Desejou sempre poder contra estas histórias ou nasceram do interesse que os leitores demonstravam por informações essenciais?
Anne: O embrião de duas das histórias — o namoro de Lucivar e Marian e Zuulaman — faziam parte da trilogia original e eram histórias que sabia que haveria de escrever. Também eu, como muitos leitores, queria ver Daemon e Jaenelle a casar. Felizmente, tive a oportunidade de escrever essas histórias.

KP: Os Reinos dos Sangue são obscuros e perigosos, ainda assim a Anne consegue transmitir essas características sem recorrer às abundantes imagens chocantes que se tornaram predominantes na indústria do entretenimento. Tem algum comentário?
Anne: Atmosfera e atitude. A escuridão e o perigo são inerentes às pessoas e ao lugar, por isso os Sangue nada podem fazer que não esteja impregnado na atmosfera e na atitude. Não aprecio essas imagens chocantes que mencionou, por isso prefiro dar muito a entender ou mostrar os resultados da violência ao invés da própria violência. A excepção dá-se quando o facto de ocultar uma cena gráfica poder vir a defraudar a história. Tal como não estou com rodeios quando escrevo esse tipo de cenas, também não vejo motivo para dizer mais do que o necessário.

KP: No futuro, irá escrever mais livros sobre os Sangue ou existem outros projectos que lhe chamam a atenção?
Anne: Gostaria de voltar a contar mais histórias nos mundos de Efémera e de Tir Alainn, embora essas histórias ainda estejam em desenvolvimento, ao passo que os Sangue clamam por atenção. De facto, acabei de entregar outro livro das Jóias Negras, que regressa ao Reino de Terreille e que está ligado às personagens de Anel Oculto (The Invisible Ring).

KP: Gostaria de deixar uma palavra aos leitores?
Anne: O entusiasmo que os leitores têm demonstrado pelo meu trabalho tem-se revelado uma experiência maravilhosa. Espero poder continuar a entreter as pessoas durante muito tempo — desvendando algumas verdades emocionais no decorrer desse processo.

Offline Queen_of_the_Darkness

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 3633
    • Ver Perfil
Entrevista - Segunda Parte
« Responder #1 em: Setembro 29, 2008, 12:06:59 pm »
Que bela entervista! Obrigada CrisCor  :D

Ahhh o Deamon também é o favorito, favorito da Bishop!

Cada vez mais fico a rebentar de curiosidade pelo Tangled Webs então depois desta entrevista, nem sei...

Citação de: "Anne Bishop"
De facto, acabei de entregar outro livro das Jóias Negras, que regressa ao Reino de Terreille e que está ligado às personagens de Anel Oculto (The Invisible Ring).


Refere-se ao The Shadow Queen não? Mas ela ainda não o está a escrever?

Já vi que a nossa Anne continua com a cabecinha cheia de ideias e que nos há-de continuar a brindar com muitas novas e belas histórias, por muitos aninhos! Pelo menos assim o espero  :wink:

Offline CrisCor

  • Administrator
  • Rato de biblioteca
  • *****
  • Mensagens: 1040
    • Ver Perfil
Entrevista - Segunda Parte
« Responder #2 em: Setembro 29, 2008, 12:11:23 pm »
Citação de: Queen_of_the_Darkness

Refere-se ao The Shadow Queen não? Mas ela ainda não o está a escrever?

Como é para sair em Março já deve ter terminado... Também os escritores têm a pressão dos prazos, calculo.

Offline Queen_of_the_Darkness

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 3633
    • Ver Perfil
Entrevista - Segunda Parte
« Responder #3 em: Setembro 29, 2008, 12:30:18 pm »
Sim tens razão.
Eu só não sabia que havia (pelo menos neste caso) um espaço de um ano para publicar um livro depois de já estar escrito...
Esta entrevista é de Março não é?

Offline CrisCor

  • Administrator
  • Rato de biblioteca
  • *****
  • Mensagens: 1040
    • Ver Perfil
Entrevista - Segunda Parte
« Responder #4 em: Setembro 29, 2008, 12:39:44 pm »
Citação de: "Queen_of_the_Darkness"
Sim tens razão.
Esta entrevista é de Março não é?


Ai, já não sei se tenho. Sim, a entrevista é de Março, por isso será mesmo o The Shadow Queen, não achas? Antes disso foi o Tangled Webs e aquele conto numa antologia, certo?

Offline Queen_of_the_Darkness

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 3633
    • Ver Perfil
Entrevista - Segunda Parte
« Responder #5 em: Setembro 29, 2008, 12:50:36 pm »
Certo, por isso é que só se pode tratar do The Shadow Queen.
Só não percebo é porquê esperar um ano para o livro ser publicado  :roll:
É que eu achava mesmo que ela estava a escrever o The Shadow Queen...

Offline Fiacha

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 15386
  • Corvo Negro
    • Ver Perfil
Entrevista - Segunda Parte
« Responder #6 em: Setembro 29, 2008, 13:31:27 pm »
Gostei bastante da entrevista, deu-nos a conheçer um pouco mais a Bishop como pessoa e como escritora.

Fico contente que a escritora continue com planos para o futuro, mantenha a vontade de nos entreter.

Sempre gostava de ver se a escritora teria coragem para se desfazer de uma das 4 personagens preferidas do público, acho que fazia bem à História, mas pronto isso talvez seja eu a querer que exista emoções ainda mais fortes :twisted:

Ao que parece o Sádico está intocavel, nesse capitulo :P  

Venham então lá esses novos livrinhos e que a escritora dure por muitos e bons anos (tal como todos nós, claro).


Obrigado Criscor, pela paciência, disponibilidade empregue na tradução desta entrevista.

Realmente mereçes que o pessoal te de um miminho :wink:
Livro a ler: O Cavalo de Outubro de Collen McCuloough 6º volume da saga 1º Homem de Roma

Offline Ana

  • Leitor de Fim de Semana
  • **
  • Mensagens: 69
    • Ver Perfil
Entrevista - Segunda Parte
« Responder #7 em: Setembro 29, 2008, 17:46:56 pm »
Também gostei! Conto os dias para ter o próximo livro  :wink:

Offline Alforat

  • Rato de biblioteca
  • *****
  • Mensagens: 1098
    • Ver Perfil
Entrevista - Segunda Parte
« Responder #8 em: Setembro 30, 2008, 11:55:54 am »
Gostei desta entrevista, apesar de ficar um pouco surpreendida com algumas respostas (os livros são negros, mas ela parece uma senhora muito querida....que contraste!). Mais uma vez, obrigada CrisCor pelo teu trabalho de tradução, para que pessoas pouco familiaeizadas com o inglês (como eu) possam entender a entrevista na integra.

Offline CrisCor

  • Administrator
  • Rato de biblioteca
  • *****
  • Mensagens: 1040
    • Ver Perfil
Entrevista - Segunda Parte
« Responder #9 em: Outubro 01, 2008, 11:13:30 am »
Ainda bem que gostaram, Fiacha, Ana e Alforat.
É verdade que parece uma senhora bastante discreta, que se dedica à jardinagem e que não gosta de sair. Mas depois vem o lado obscuro!...  :twisted:

Offline Alforat

  • Rato de biblioteca
  • *****
  • Mensagens: 1098
    • Ver Perfil
Entrevista - Segunda Parte
« Responder #10 em: Outubro 01, 2008, 11:48:12 am »
Citação de: "CrisCor"
É verdade que parece uma senhora bastante discreta, que se dedica à jardinagem e que não gosta de sair. Mas depois vem o lado obscuro!...  :twisted:



Mas é que é isso mesmo! Por isso é que li em algum lado que quando as pessoas descobrem os livros dela e a vêem não acreditam que ela é a autora.