Autor Tópico: Saída de Emergência lança livros de bolso  (Lida 26657 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Smirlah

  • Administrator
  • Bibliófilo
  • *****
  • Mensagens: 16630
    • Ver Perfil
Re: Saída de Emergência lança livros de bolso
« Responder #105 em: Março 24, 2012, 01:02:47 am »
Por exemplo eu não me atrevo a começar a ler Martin porque sou incapaz de comprar uns 10 a 15 livros a 18e cada...
Sinceramente, muita gente tem toda a série e não comprou metade dos livros... Hoje em dia o que não faltam por aí são promoções e ofertas. Todos os livros de Martin já passaram pela promoção 2=3 da SdE, e há quase sempre um lá. Depois ainda temos packs como este e a Guerra dos Tronos que está já há algum tempo com 40% de desconto. Isto é só no site da SdE.
Se forem procurar noutras livrarias, Fnacs e companhia arranja-se ainda mais propostas, para não falar na Feira do Livro e a Hora H.
Com paciência, consegue-se arranjar a série de quase de graça. Ah, e se ajuda nalguma coisa, os livros do Martin estão a 17€ e não a 18€. :P

Isto não se aplica só ao caso de Martin mas ao caso de muitos livros. Se procurarmos bem, as livrarias estão cheias de propostas descontos e outro tipo de promoções. Para não falar nos passatempos que abundam pelo mundo dos blogues.

Quanto à questão dos livros de bolso. Acham mesmo que as coisas são assim tão literais como estão a descrever? Se de facto estes vendessem a grande escala, como vocês parecem apregoar, poderia ser mais rentável e lucrativo fazê-los de bolso. Apesar de haver pessoas que preferiam comprar os livros de bolos, há muita gente que prefere os grandes.

Acho muito bem que apelem à maior publicação de livros de bolso mas, por favor, não comecem a lançar afirmações do género "só não o fazem porque é mais lucrativo como estão a fazer agora" sem terem conhecimentos sobre o assunto. Quase que fazem parecer que as editoras ganham 80% do valor de cada livro como lucro... o que é mais que absurdo. ;)

Se de facto têm conhecimento de como todo o processo de publicação funciona, desde a primeira vez que põe os olhos no livro até este ser metido na prateleira da livraria, dos custos que isso acarreta (dos livros normais e dos do bolso), das tendências do mercado e dos valores que são implicados para cada faceta da publicação de um livro e podem fazer comparações concretas, então muito bem. Exponham esses argumentos e valores concretos. :)
Agora, se estão a fazer suposições simplesmente porque os livros de bolso são mais baratos... por favor parem.

Offline Thanatos

  • Leitor compulsivo
  • ****
  • Mensagens: 703
    • Ver Perfil
    • http://www.bbde.org
Re: Saída de Emergência lança livros de bolso
« Responder #106 em: Março 24, 2012, 09:26:11 am »

Smirlah, fica-te bem vir defender a editora. Outra coisa até não seria de esperar. Mas assim de repente e depois de ter lido os posts anteriores veio-me à cabeça a alegada frase de Marie Antoinette: não têm pão? Comam bolos!

Ora bem, então as pessoas queixam-se que mal têm 10 euros para dar por um livro e tu falas nos packs de compre 2 leve 3? Como se isso resolvesse logo a questão? E porque razão há-de uma pessoa de querer um livro e ter de levar mais dois que não lhe interessam?

Para um comprador apenas duas coisas interessam: o dinheiro que vai largar e o que leva por esse dinheiro. Tudo o resto são especulações.

Mas desmontando:

Sinceramente, muita gente tem toda a série e não comprou metade dos livros... Hoje em dia o que não faltam por aí são promoções e ofertas.

Já que pedes dados concretos... qual muita gente? O pessoal dos blogues que "critica" os livros da SdE? Eu, pelo menu lado, conheço é muita gente que já desistiu de os comprar cortados às fatias. Quando chega ao cúmulo do hardcover de A Dance of Dragons andar nas livrarias por 22 euros  acho que palavras para quê?

E quais promoções? Onde?

Apontas 3 links e o que eu vejo são mais daqueles packs do tipo "ai queres este? Então alanca com outros dois".


Guerra dos Tronos que está já há algum tempo com 40% de desconto. Isto é só no site da SdE.

E dizes muito bem. Basta passar pela wook para ver que pedem 19 euros por ele.


Com paciência, consegue-se arranjar a série de quase de graça. Ah, e se ajuda nalguma coisa, os livros do Martin estão a 17€ e não a 18€. :P

Só se for noutras livrarias que não a FNAC e Bertrand de Almada onde pedem nas calmas 19,95 ou 18,95 por cada um.

Seja como for toda a questão das promoções e tal funciona para os dois lados. Quer para os livros caros, quer para os livros de bolso que já de si são mais baratos. Ou seja, voltamos à questão do pagante a ver quanto larga e quanto leva em cada situação.



 Para não falar nos passatempos que abundam pelo mundo dos blogues.

Isto chama-se brincar com as pessoas. Os tais passatempos oferecem quê? Um dois livros, se tanto. E vamos todos agora viver de net ao lado para poder participar nos passatempos. E aí deixam de ser passatempos para serem consometempos.




Quanto à questão dos livros de bolso. Acham mesmo que as coisas são assim tão literais como estão a descrever? Se de facto estes vendessem a grande escala, como vocês parecem apregoar, poderia ser mais rentável e lucrativo fazê-los de bolso. Apesar de haver pessoas que preferiam comprar os livros de bolos, há muita gente que prefere os grandes.

Ora disseste tudo! "Há muita gente que prefere os grandes" E porquê? Será porque historicamente os livros de bolso em Portugal eram como escolher entre casa própria e arrendamento? Ou seja a diferença era tão diminuta que mal por mal mais valia ter um livrito com aspeto mais decente? E não será também porque as grandes editoras de outrora que apostaram nos bolso perderam o norte quando começaram a encolher os espaço entre linhas e caracteres ao ponto de tornarem os livros ilegíveis ao mesmo tempo que aumentavam o preço? Se calhar as razões não são todas tão preoto-no-branco, e convinha, já que pedes casos concretos que também dissesses quais os casos concretos em que o luvro e rentabilidade ficam afetados.

Quase que fazem parecer que as editoras ganham 80% do valor de cada livro como lucro... o que é mais que absurdo.

Não li em nenhum post ninguém falar sequer de lucros quanto mais de 80%. Nem em querer fazer parecer tal... à exceção da tua linha que me parece querer desviar o eixo da discussão para a velha questão dos "coitaditos" dos editores que mal têm para sobreviver. É uma discussão fútil quando feita sem números e não seria eu que viria aqui trazê-los. O importante é não perder de vista o essencial que é: as pessoas têm dificuldades monetárias. Os livros cada vez estão mais caros.

Um exemplo concreto que nem sequer é da SdE. Há uns meses andei com o meu puto a ver livros. Ele pegou no primeiro da Cassandra Clare, Cidade de Ossos. Estava a 16,95. Infelizmente era exemplar único e estava muito maltratado. Deixámo-lo na prateleira.

Esta semana na FNAC reparamos num topo cheio de Cassandras Clares (sem dúvida a aproveitar a estreia de Hunger Games) e qual o nosso espanto quando vemos que pedem, nas calmas, 20,00 euros pelo mesmíssimo livro. Por mais reviravoltas e jogos de cintura que queiram dar a verdade é que alguém anda a meter a mão no bolso do leitor.

E isto é um caso concreto.  :D



Se de facto têm conhecimento de como todo o processo de publicação funciona, desde a primeira vez que põe os olhos no livro até este ser metido na prateleira da livraria, dos custos que isso acarreta (dos livros normais e dos do bolso), das tendências do mercado e dos valores que são implicados para cada faceta da publicação de um livro e podem fazer comparações concretas, então muito bem.

E pronto, mais uma voltinha no carroussel. Porque será que as discussões vão sempre parar a um tipo de alegação em que parece que cada um tem de puxar das credenciais e dos diplomas para poder dizer seja o que for? Já não é a primeira nem a última vez que leio este tipo de deconstrução de discussões cujo único sentido é de fazer parar a mesma. Decerto notas a falácia do teu argumento. Pedes comparações concretas mas tu não ofereces nenhumas que as desmontem. Como dizia o outro não tenho de ser galinha para gostar de ovos. Mas mesmo que fossêmos por aí provavelmente seria até bem melhor que não se publicassem as tais "tendências do mercado" porque senão era-se bem capaz de descobrir coisas interessantes e chegar à conclusão que, por acaso, até seria possível fazer livros bem mais baratos. Mas isso não interessa não é? Até porque "as pessoas preferem os grandes".  ;)

Offline Victan

  • Leitor de Fim de Semana
  • **
  • Mensagens: 185
    • Ver Perfil
Re: Saída de Emergência lança livros de bolso
« Responder #107 em: Março 24, 2012, 09:26:26 am »
Sim acredito que haja muita gente que prefira os (so called) grandes, mas eu até prefiro os de bolso e acho que é uma questão de hábito para muita gente os comprar,
só lhes vejo benefícios...
Ocupam menos espaço na prateleira, no "bolso", pesam menos, o que facilita a leitura e além disso têm o factor "fofinho" das coisas em ponto pequeno.lol

 "só não o fazem porque é mais lucrativo como estão a fazer agora"
Bom mas creio que seja essa a razão não? Se fosse lucrativo as editoras optavam por eles... A verdade é que as editoras são empresas e não associações de beneficiência.lol
Quanto às promoções creio que hajam bastantes, mas daí a arranjar todos os livros de graça... Em blogues nunca ganhei nada e promoções em livrarias normalmente envolvem
um segundo livro que não me interessa assim tanto.

Offline Riona

  • Leitor compulsivo
  • ****
  • Mensagens: 707
    • Ver Perfil
Re: Saída de Emergência lança livros de bolso
« Responder #108 em: Março 24, 2012, 12:46:08 pm »
Sim, eu também já aproveitei algumas promoções, desde o 2 = 3 aos 40% de desconto. Ainda agora só estou a ler o Asteca, do Gary Jennigs porque no site tinha um pack promocional com os dois volumes. Mas também é certo que não é fácil gerir as séries apenas por essas promoções. Estou há anos a tentar fazer isso com a Robbin Hobb e, mais recentemente, com a Jacqueline Carey, e está a ser impossível. É um facto que a SdE é das poucas (de meu conhecimento, a única) editoras que faz tantas promoções, mas também é verdade que com tantas sagas, é impossível seguir todas as que quero. Neste momento, e pelo menos para já, tive de deixar "cair" a saga de Simon Scarrow, por exemplo.  :(
Não me posso pronunciar sobre lucros, ou sobre o processo editorial, mas de facto acredito que muita gente que agora não aceita os livros de bolso iria a cabar por se habituar se a oferta fosse maior. Neste momento acredito que até seja um investimento sem grande retorno - tendo disponível um formato maior, as pessoas preferem-no, mesmo pagando mais. Mas e se/quando a "crise" apertar ainda mais, mesmo para aqueles que, para já, ainda têm poder de compra? E se em certas coleções só houvesse disponível a versão bolso, como seria?  ::)
Louvo a SdE por querer e, muitas vezes, conseguir compensar os seus leitores  pela muito frequente divisão dos livros. Mas é verdade que agora compro menos do que comprava e espero (muito) mais pelos livros que quero.
Como não se pode ter tudo, há escolhas que têm de ser feitas, e eu tenho feito as minhas.  ;)
« Última modificação: Março 24, 2012, 13:05:06 pm por Riona »

Offline Smirlah

  • Administrator
  • Bibliófilo
  • *****
  • Mensagens: 16630
    • Ver Perfil
Re: Saída de Emergência lança livros de bolso
« Responder #109 em: Março 24, 2012, 16:06:21 pm »

Smirlah, fica-te bem vir defender a editora. Outra coisa até não seria de esperar. Mas assim de repente e depois de ter lido os posts anteriores veio-me à cabeça a alegada frase de Marie Antoinette: não têm pão? Comam bolos!

Ora bem, então as pessoas queixam-se que mal têm 10 euros para dar por um livro e tu falas nos packs de compre 2 leve 3? Como se isso resolvesse logo a questão? E porque razão há-de uma pessoa de querer um livro e ter de levar mais dois que não lhe interessam?

Essa de me ficar bem vir defender a editora é nova mas, caso tenhas reparado, não a estou exactamente a defender. ;) Para começar, nem falo desta editora concreta. Dou exemplos de promoções desta pois estou a responder ao comentário do Victan de não poder adquirir os livros de As Crónicas de Gelo e Fogo a 18€ cada. Como os livros são desta editora, é natural que aponte as promoções desta para os adquirir, não achas? Pelo menos não é através das promoções da Presença que se vai conseguir adquirir esses livros em concreto. ;D

Nessa sequência de não poder adquirir a série toda a 18€ cada é que aponto as formas como se consegue adquirir a mesma sem pagar esses 18€ (que são mais 17€ que 18 € na realidade) por cada volume. Que vem através da aquisição de outros livros, vem. Mas se ao gastarmos 30€ conseguimos trazer para casa 3 ou 4 livros (caso se opte por aquele pack com o Aprendiz de Assassino) já só estamos a pagar 10€ ou 7.5€ por cada livro. Logo, esses tais 10€ que era a única coisa que se conseguia juntar já são aquilo que se está a pagar. Basta poupar esses 10€ três vezes. Foi algo que fiz muitas vezes durante a minha infância e adolescência e algo que continuo a fazer.


Já que pedes dados concretos... qual muita gente?

Se tiveres paciência podes ir ler os tópicos "Qual a tua última aquisição?" e "3 livros por 2". Nestes encontrarás várias pessoas a comentar que aproveitaram a promoção 2=3 ou outras como as da Feira do Livro para adquirir livro x ou y da série referida. Encontrarás inclusive comentários em que as pessoas dizem que esperam que ponham o livro k, l ou m na promoção pois já só lhes faltam esses. Ainda existem um ou outro comentário, mais raros com certeza, em que referem explicitamente como adquiriram grande parte ou metade da série só através desse tipo de promoções.


E quais promoções? Onde?
Aqui são apontadas algumas. Se costumas ler todos os posts que se vão fazendo neste fórum, já terás reparado em várias posts que apontam promoções na Fnac e packs na Fnac assim como o facto de terem aproveitado algum cheque-desconto para adquirir este ou aquele livro. A Fnac já me enviou alguns, assim como a Bertrand. A Bertrand (que nem considero uma grande livraria no que toca a preços), só nos últimos 10 dias enviou-me 4 mails de ofertas e promoções. A Presença está constantemente a enviar-me mails com promoções do website, sendo que de momento está a decorrer uma bastante boa.

Apontas 3 links e o que eu vejo são mais daqueles packs do tipo "ai queres este? Então alanca com outros dois".
Já reparaste que estás a baralhar os exemplos concretos que eu aponto para a aquisição da série As Crónicas de Gelo e Fogo através do website da SdE com a minha referência a abundarem descontos e promoções nas diversas livrarias e sobre diversos livros?

Mas deixemos esse pormenor de parte. Tu olhas para esses exemplos e vês "ai queres este? Então alanca com outros dois". Eu olho para os mesmos exemplos e vejo "Queres estes dois? Aproveita este pack e levas estes  2 pelo preço de um" ou "Queres estes três? Compra dois e levas o outro de borla". Uma questão de perspectiva? Talvez. Mas eu só aproveito este tipo de promoções para livros que me interessam e por isso às vezes passam-se meses em que não compre determinados livros que quero porque estou à espera que apareça um pack ou promoção que realmente só envolva livros que me interessam. Ainda há uns tempos, a Fnac ou a Gailivro ou Asa fez um pack com uma das partes do segundo livro do Rothfuss e o do Joe Abercrombie, outro que continha as duas partes do segundo livro do Rothfuss e não sei se ainda não havia um terceiro que também continha esse livro do Rothfuss. Houve uma data de gente que queria esses livros e aproveitou esses packs para os comprar pelo preço de um. Esse é um facto concreto que podes verificar no tal tópico "Qual a tua última aquisição" e que ainda foi discutido no tópico do Rothfuss aqui no fórum.

Eu não disse que as promoções apareciam todas à mesma altura, que eram para todos os livros ou que existiam exactamente para aqueles que queremos como queremos. Antes pelo contrário, referi que elas abundam mas que é preciso paciência. Ter todos os livros que se quer e quando se quer é para quem pode. Quem de facto tem a carteira mais apertada ou simplesmente não pode anda a esbanjar tem de ter paciência e ir observando o mercado. Com essa mesma paciência consegue-se adquirir os livros que se quer de forma mais barata. Ressalvo, as promoções abundam, não são é todas para aquilo que queremos nem da forma que queremos.

Guerra dos Tronos que está já há algum tempo com 40% de desconto. Isto é só no site da SdE.

E dizes muito bem. Basta passar pela wook para ver que pedem 19 euros por ele.
lol Foste apontar logo uma das livrarias que pratica preços mais altos e que tem um dos piores sistemas de processamento e envio de encomendas (embora esta última parte não tenha muito a ver com o assunto). A Wook nem pratica os 10% de desconto sobre o preço de editor! Hoje em dia, consegue-se arranjar quase qualquer livro com pelo menos 10% de desconto. Eu já considero que me estão a roubar quando não praticam esses 10% (o que em si não é verdade mas tal é abundância desse desconto que uma pessoa se sente assim).

E, novamente, fazes parecer que eu disse uma coisa que não disse. O "isto" refere-se não só ao preço da Guerra dos Tronos mas a todos as promoções que apontei referentes à série as Crónicas de Gelo e Fogo. De qualquer forma, também encontrarás vários comentários no tal tópico "Qual a tua última aquisição?" Em que se refere ter encontrado A Guerra dos Tronos bem barato, na Feira do Livro ou nalgum alfarrabista. Eu cheguei a encontrar, numa promoção da altura, a 12€ ou 13€. Too bad for me, já tinha o livro.


Com paciência, consegue-se arranjar a série de quase de graça. Ah, e se ajuda nalguma coisa, os livros do Martin estão a 17€ e não a 18€. :P

Só se for noutras livrarias que não a FNAC e Bertrand de Almada onde pedem nas calmas 19,95 ou 18,95 por cada um.

Seja como for toda a questão das promoções e tal funciona para os dois lados. Quer para os livros caros, quer para os livros de bolso que já de si são mais baratos. Ou seja, voltamos à questão do pagante a ver quanto larga e quanto leva em cada situação.

Não sei como é que essas livrarias funcionam em específico. Em relação à Bertrand, na minha experiência eles não gostam de utilizar muito os tais 10% (daí o eu ter dito que nem a considero grande coisa a nível de preços) mas até tenho reparado uma melhoria nesse sentido ultimamente. Acho que se se tiver o cartão deles, ou lá o que é, já se tem automaticamente os 10% de desconto. Quando à Fnac, o mesmo para o cartão. Eu não compro nada de livros na Fnac devido aos portes abusivos que praticam. Por isso não tenho cartão nem aproveito os cheques de desconto que me enviam mas para quem vive no continente, já vi boas promoções, algumas bastante interessantes para os fãs de certas séries.

A Fnac de Almada funciona de forma diferente? Já percebemos que no que toca às Bang!s são uma desgraça mas do resto não sei.
Vendo o webiste da Fnac, na página dos livros do fantástico, só vejo dois livros com mais de 17€ ( e voltando às Crónicas, todos menos os últimos dois estão com 20% de desconto :P). Se clicarmos nos link de ofertas, aposto que ainda aparecem mais algumas promoções.

No website da Bertrand, aqui já em literatura no geral, vendo a primeira página, vejo quase todos com os tais 10% de desconto e até vejo alguns bons preços.


 Para não falar nos passatempos que abundam pelo mundo dos blogues.

Isto chama-se brincar com as pessoas. Os tais passatempos oferecem quê? Um dois livros, se tanto. E vamos todos agora viver de net ao lado para poder participar nos passatempos. E aí deixam de ser passatempos para serem consometempos.

Brincar com as pessoas? ??? Não vejo o porquê da expressão.

Os passatempos oferecem, em geral, um, dois ou três livros. Para compensar o mesmo passatempo realiza-se por vários blogues. A probabilidade de ganhar um livro num passatempo pode não ser muito grande e muitas vezes pode ser que não compensa o trabalho de participar (por isso é que eu nem participo em muitos) mas a verdade é que eles representam uma oportunidade. Para quem está a tentar arranjar o máximo número possível de livros pelo mínimo possível de euros, não se pode estar sempre a ser picuinhas e esses passatempos oferecem a tal oportunidade.

Eu pessoalmente, raramente participo em passatempos. A minha sorte não é grande coisa - nunca ganhei um passatempo - e acabo por achar que não me compensa o trabalho. Mas existem pessoas que se fartam de ganhar livros em passatempos pelo que me parece que o trabalho compensa. Se quiseres os exemplos concretos posso-te apontar a wavegirl que já ganhou alguns livros nos passatempos deste fórum e a toiota que várias vezes menciona ter adquirido livro x num passatempo nos seus posts no tópico "Qual a tua última aquisição?"


Quanto à questão dos livros de bolso. Acham mesmo que as coisas são assim tão literais como estão a descrever? Se de facto estes vendessem a grande escala, como vocês parecem apregoar, poderia ser mais rentável e lucrativo fazê-los de bolso. Apesar de haver pessoas que preferiam comprar os livros de bolos, há muita gente que prefere os grandes.

Ora disseste tudo! "Há muita gente que prefere os grandes" E porquê? Será porque historicamente os livros de bolso em Portugal eram como escolher entre casa própria e arrendamento? Ou seja a diferença era tão diminuta que mal por mal mais valia ter um livrito com aspeto mais decente? E não será também porque as grandes editoras de outrora que apostaram nos bolso perderam o norte quando começaram a encolher os espaço entre linhas e caracteres ao ponto de tornarem os livros ilegíveis ao mesmo tempo que aumentavam o preço? Se calhar as razões não são todas tão preoto-no-branco, e convinha, já que pedes casos concretos que também dissesses quais os casos concretos em que o luvro e rentabilidade ficam afetados.
E nunca disse que o lucro e a rentabilidade ficavam afectados. Da mesma forma como não estou aqui a defender as editoras.

Eu disse que, caso se vendesse em grande escala, poderia ser mais rentável e lucrativo. Não sei se isto é verdade. Sei que segundo a lei das economias de escala, isso é possível. Se mais pessoas comprariam livros de bolso do que livros normais, isso parece-me natural. No entanto, não sei como é que os factores produtivos em questão funcionam nem como todo o processo e mercado funciona.

Como não sei, as suposições estou a fazer podem não ser verdade (e por isso é que faço suposições e não afirmações) mas é por isso mesmo que não posso afirmar que as editoras não publicam mais livros de bolso porque é mais lucrativo vender os outros, que é o que está a ser afirmado aqui. Fiz essas suposições para demonstrar que o não termos conhecimento sobre o assunto nos impede de fazer afirmações específicas sobre o mesmo.

Repito, eu não afirmei as coisas serem de forma X, eu afirmei ser possível as coisas serem de forma X. Como não sei, não posso afirmar ser. É isso que peço do resto dos membros deste fórum. Não afirmem que as editoras não publicam A ou B na forma K ou L porque W ou V se de facto não sabem como é que as coisas funcionam.

Quase que fazem parecer que as editoras ganham 80% do valor de cada livro como lucro... o que é mais que absurdo.

Não li em nenhum post ninguém falar sequer de lucros quanto mais de 80%. Nem em querer fazer parecer tal... à exceção da tua linha que me parece querer desviar o eixo da discussão para a velha questão dos "coitaditos" dos editores que mal têm para sobreviver. É uma discussão fútil quando feita sem números e não seria eu que viria aqui trazê-los. O importante é não perder de vista o essencial que é: as pessoas têm dificuldades monetárias. Os livros cada vez estão mais caros.

Ninguém afirmou tal e ninguém quis fazer parecer tal. Eu também não disse isso que o tinham feito.

Se reparares, há ali logo no início um "quase" e depois há o verbo "parecer".
O "quase" indica que isso de facto não acontece, apenas que [b]quase[/b] acontece.
O "parecer" indica que não dizem que as editoras têm aqueles 80% do lucro mas que a forma como estão a fazer afirmações faz parecer isso.
Logo, juntado as duas palavras chave, não estou a afirmar nem que as pessoas estão a afirmar isso nem que o quiseram fazer.

Aliás o valor de 80% é claramente um valor exagerada e ridiculamente elevado de forma a dar ênfase à questão.

Quanto à história dos editores serem uns "coitadinhos", não tentei puxar o assunto para aí nem  tenciono. Não duvido que existam editores probrezinhos, mas também os existem que vivem sem problemas e deve existir aqueles que vivem bastante bem da vida. A questão é apontar que apontar que o preço dos livros não é 100% (novamente um valor exagerado de forma propositada) de lucro para uma editora.

Um exemplo concreto que nem sequer é da SdE. Há uns meses andei com o meu puto a ver livros. Ele pegou no primeiro da Cassandra Clare, Cidade de Ossos. Estava a 16,95. Infelizmente era exemplar único e estava muito maltratado. Deixámo-lo na prateleira.

Esta semana na FNAC reparamos num topo cheio de Cassandras Clares (sem dúvida a aproveitar a estreia de Hunger Games) e qual o nosso espanto quando vemos que pedem, nas calmas, 20,00 euros pelo mesmíssimo livro. Por mais reviravoltas e jogos de cintura que queiram dar a verdade é que alguém anda a meter a mão no bolso do leitor.

E isto é um caso concreto.  :D
Acredito que  se veja os mesmos livros a preços diferentes em diferentes livrarias e que o preço dos mesmos mude na mesma livraria de tempos em tempos. Segundo o site da Fnac, esses mesmos livros estão de momento a 18€ cada. Eu sei que vi ainda esta semana um deles a cerca de 17€ (+/- o mesmo que 16.95€) numa livraria.


Se de facto têm conhecimento de como todo o processo de publicação funciona, desde a primeira vez que põe os olhos no livro até este ser metido na prateleira da livraria, dos custos que isso acarreta (dos livros normais e dos do bolso), das tendências do mercado e dos valores que são implicados para cada faceta da publicação de um livro e podem fazer comparações concretas, então muito bem.

E pronto, mais uma voltinha no carroussel. Porque será que as discussões vão sempre parar a um tipo de alegação em que parece que cada um tem de puxar das credenciais e dos diplomas para poder dizer seja o que for? Já não é a primeira nem a última vez que leio este tipo de deconstrução de discussões cujo único sentido é de fazer parar a mesma. Decerto notas a falácia do teu argumento. Pedes comparações concretas mas tu não ofereces nenhumas que as desmontem. Como dizia o outro não tenho de ser galinha para gostar de ovos. Mas mesmo que fossêmos por aí provavelmente seria até bem melhor que não se publicassem as tais "tendências do mercado" porque senão era-se bem capaz de descobrir coisas interessantes e chegar à conclusão que, por acaso, até seria possível fazer livros bem mais baratos. Mas isso não interessa não é? Até porque "as pessoas preferem os grandes".  ;)

Eu peço comparações e as ditas "credenciais" se quiserem fazer afirmações específicas e concretas como "As editoras não publicam livros de bolso porque os outros dão mais lucro". Já expliquei o porquê e até referi que acho muito bem que se apele à maior publicação de livros de bolso.

Se fizerem os ditos estudos de mercado, acho muito bem que se os publique. Ficaremos todos mais informados e embora possamos não possuir todas as "credenciais" para fazer afirmações como a acima referida, possuiremos uma maior compreensão sobre um aspecto da publicação de um livro. Até pode ser que se demonstre que valeria a pena a publicação em massa de livros de bolso e isso poderia levar as editoras a publicar os mesmos.

Não vejo nenhum aspecto negativo em tal estudo e na sua publicação pois não sou nenhuma editora que está a fazer grandes lucros com a não publicação de livros de bolso nem estou a defender nenhum.  Sou antes uma consumidora que tem todo o interesse em arranjar os livros da forma mais barata que lhe for possível.

Bom mas creio que seja essa a razão não? Se fosse lucrativo as editoras optavam por eles... A verdade é que as editoras são empresas e não associações de beneficiência.lol
Quanto às promoções creio que hajam bastantes, mas daí a arranjar todos os livros de graça...
Lá está, não sabes se é essa razão. Pode não só não ser lucrativo como também não ser rentável, o que são duas coisas bastante diferentes. Pode ser que estejas certo. Pode ser outra coisa qualquer que nem eu nem tu imaginamos de momento. Como não sabemos, peço que não se faça esse tipo de afirmações.


Offline Victan

  • Leitor de Fim de Semana
  • **
  • Mensagens: 185
    • Ver Perfil
Re: Saída de Emergência lança livros de bolso
« Responder #110 em: Março 24, 2012, 20:11:54 pm »
Bom mas creio que seja essa a razão não? Se fosse lucrativo as editoras optavam por eles... A verdade é que as editoras são empresas e não associações de beneficiência.lol
Quanto às promoções creio que hajam bastantes, mas daí a arranjar todos os livros de graça...
Lá está, não sabes se é essa razão. Pode não só não ser lucrativo como também não ser rentável, o que são duas coisas bastante diferentes. Pode ser que estejas certo. Pode ser outra coisa qualquer que nem eu nem tu imaginamos de momento. Como não sabemos, peço que não se faça esse tipo de afirmações.

Eu nem me meti na questão de ser rentável à editora. Apenas disse que seria rentável para mim.
E disse entre outras coisas que também gosto bastante de livros de bolso, que muitas vezes são mais fáceis de transportar e de ler, para além de gostar da estética e do espaço que ocupam na prateleira.
Eu acho que não fiz afirmação nenhuma de mal, apenas expressei a minha opinião...

Offline Fernando Pinheiro

  • Sou um anjo-caído ou demónio se preferirem. Também sou o "sociopata" de Almada :D
  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 2497
  • Um escritor ecléctico.
    • Ver Perfil
Re: Saída de Emergência lança livros de bolso
« Responder #111 em: Março 27, 2012, 06:37:36 am »
Pelo o que entendi na conversa, o Victan está apenas a dizer que não têm dinheiro provavelmente nem sequer para as promoções da SdE em relação ao Martin.

Estamos em crise económica, enfim.

Para muita gente é caro comprar livros duma saga.

Vou dar o meu exemplo, ainda não comprei os livros todos de Sangue Fresco por exemplo. Porque livros a cima de 15 € é muito caro, quando existem outras despesas. E nem as promoções ajudam sempre.

Quando chegar a feira do livro, é que tenho bastantes oportunidades. Aliás qualquer outra feira (bom depende do livro que quero também).


A Smirlah não estava a defender a editora nesse sentido, estava a explicar que existem promoções que tornam os livros mais baratos. Como os packs.

É claro que nem toda a gente têm o mesmo poder de compra.
Brevemente Diábolos, o Rapaz-Diabo.

Silent Hill 2 é o melhor videojogo de Fantástico.

Dentro de cada um de nós existe um animal prestes a ser despertado.

Salazarismo e Extrema-direita Sucks -.-'

Offline Dp_soares

  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 1861
    • Ver Perfil
Re: Saída de Emergência lança livros de bolso
« Responder #112 em: Março 28, 2012, 17:02:49 pm »
lol Estava só mal humorado quando escrevi aqueles "desabafos" não estava à espera de criar estas "discussões" todas.

Dentro dessas "promoções" sem dúvida que a SdE deve ser a que mais oferece aos leitores. Eu já comprei muitos livros no pague 2 leve 3 e mesmo livros com 40% de desconto.
Na minha opinião as editoras não deviam baixar o preço dos livros (se fizerem melhor) pois estes têm qualidade tanto na capa como nas folhas, e nisto acho que a SdE é das melhores. Deviam era ter uma versão mais barata com menos qualidade, por exemplo Bolso, nem que fosse limitada.
Eu passaria a comprar mais barato e só comprava as versões mais caras dos meus livros ou sagas preferidos.
Nesta perspectiva acho que as editoras vendiam mais exemplares. Não sei se valeria a pena para a editora em relação a lucros.
Também é só a minha mera opinião, não sou nenhum entendido na "matéria"