Autor Tópico: A Luz Miserável  (Lida 8757 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Thanatos

  • Leitor compulsivo
  • ****
  • Mensagens: 703
    • Ver Perfil
    • http://www.bbde.org
Re: A Luz Miserável
« Responder #30 em: Julho 04, 2012, 19:56:49 pm »
A minha modestíssima apreciação do livro (gostaria de ter tido tempo para divagar sobre o conto que lhe dá o nome mas...):


Este livro, composto por 3 contos, consegue oscilar entre o medíocre (A Sombra sem Ninguém) e o excelente (Rei Assobio). Pelo meio fica o conto A Luz Miserável que embora tenha passagens sofríveis, ainda assim tem bons momentos de gore (não que um conto seja bom ou mau pela quantidade debitada de gore, à moda dos videos nasties da década de 80, mas vocês percebem o que eu quero dizer) e um final que pelo menos não fere a lógica do conto.

O que me leva a considerar A Sombra sem Ninguém medíocre? Acima de tudo a rigidez e, diria, falsidade dos diálogos que soam demasiado forçados, quase estéreis de emotividade, como se debitados por autómatos. A ideia em si é interessante e quase a conseguia ver tornada em episódio duma série de macabro para passar em TV de sinal fechado a altas horas da madrugada mas a execução é rígida, sem chama e a lembrar-me o conto Um Erro do Sol  (Brinca Comigo! e outras estórias fantásticas com Brinquedos, escritório editora, 2009) onde também David Soares padece da mesma rigidez e, arrisco, falta de imaginação para dar o golpe de asa que insuflasse de vida as personagens.

Já Rei Assobio é uma lenda moralista (se assim a quisermos entender) que demonstra como de pequenos enganos e pequenos erros se vai acumulando a maldade e a insanidade num mundo que foge à racionalidade e à lógica que a custo o Homem lhe tenta impor. Um excelente pedaço de prosa, do tamanho certo, contado com uma dinâmica invejável e a um ritmo que em nada ficar a dever à grande tradição das lendas nacionais.