Autor Tópico: Questões que queiram colocar ao tradutor  (Lida 37442 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline candeias

  • Leitor compulsivo
  • ****
  • Mensagens: 755
    • Ver Perfil
    • A Lâmpada Mágica
Re: Questões que queiram colocar ao tradutor
« Responder #90 em: Março 27, 2012, 14:46:50 pm »
Esta foi uma dúvida que me surgiu quando li A Guerra dos Tronos há uns anos atrás. Talvez tenha sido opção da editora e não do tradutor mas sempre me perguntei o porquê de o nome da série estar traduzido como "As Crónicas de Gelo e Fogo" em vez de "Uma Canção de Gelo e Fogo" ou algo semelhante. Até porque há algumas teorias que se apoiam no facto de o nome da série ser "A Song of Ice and Fire". Será possível sabermos a razão?

Foi uma opção da editora, sim.

Mas não me parece má. Notem que o significado de crónicas não é só aqueles textozinhos curtos e pessoais que aparecem nos jornais. Crónicas são também histórias em geral, muitas vezes de cariz histórico (o Fernão Lopes escreveu uma série delas), e que por vezes tomam a forma de longos poemas mais ou menos épicos, destinados a ser cantados.

Mesmo assim, lá nos idos do início da série, aqui o tradutor sugeriu usar-se canção.

Offline dellani

  • Aprendiz
  • *
  • Mensagens: 1
    • Ver Perfil
Mudanças na tradução
« Responder #91 em: Maio 12, 2015, 19:59:58 pm »
Eu me lembro de ter lido um post em seu blog em que você criticou a editora Leya por ter editado suas traduções na versão brasileira de CdGeF sem ter se comunicado com você. Uma das questões que o frustraram com essa atitude da editora foi o fato de que, se você tivesse participado da elaboração da edição brasileira, você poderia ter alterado algumas coisas que acredita não terem sido suas melhores escolhas para a edição portuguesa. Nas suas palavras: "Parece ser razoavelmente consensual entre os leitores portugueses que a minha tradução destes primeiros livros da série do Martin não é má. Tem até havido quem a tenha apelidado de excelente ou fantástica. Alegra-me que assim seja, mas tenho de confessar aqui com toda a clareza que não partilho do entusiasmo. A Guerra dos Tronos foi apenas o quarto livro que traduzi de fio a pavio na minha carreira. Hoje, três anos e meio mais tarde, sou um tradutor diferente, muito mais experiente, que olha para o trabalho que fez nessa época e não consegue evitar torcer de vez em quando o nariz. Cometi alguns erros por inexperiência. Se a Leya tivesse comunicado comigo, esses erros poderiam ter sido corrigidos na edição brasileira. Infelizmente não o fez. Cometi outros, em especial nos topónimos, por não ter lido toda a série antes de começar a traduzir o primeiro livro e por isso não saber ao certo qual a origem deste ou daquele nome. Agora, já a li. Se a Leya tivesse contactado comigo, esses erros poderiam ter sido corrigidos na edição brasileira. Infelizmente não o fez."

O que você teria traduzido de forma diferente se tivesse participado da elaboração da edição brasileira? Fiquei bastante curioso sobre que mudanças seriam essas que você faria na tradução dos topônimos, dentre outras que você não chegou se referir de maneira mais clara.
« Última modificação: Maio 12, 2015, 20:09:09 pm por dellani »