Autor Tópico: Acordo Ortográfico - Alterações e Aplicação nos livros  (Lida 15800 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Fernando Pinheiro

  • Sou um anjo-caído ou demónio se preferirem. Também sou o "sociopata" de Almada :D
  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 2498
  • Um escritor ecléctico.
    • Ver Perfil
Re: Acordo Ortográfico - Alterações e Aplicação nos livros
« Responder #90 em: Março 29, 2015, 22:17:54 pm »







Até que as pessoas que escreviam como o Fernando Pessoa já morreram, não podemos fazer nada aí (imagino o Fernando Pessoa sair da tumba em vingança por actualizarem A Mensagem, contudo). Mas depende da palavra, e depende se achas que a fonética é importante só no português oral e em diálogos (nos contos ou romances) e a etimologia é só importante na maneira como se escreve e na narração (é o meu caso).

Então ele já teria saído do túmulo logo que uma nova edição de A Mensagem fosse editado com o acordo de 1911 porque e segundo me foi dado a entender ele ferozmente contra ele.

Mas gostei dessa ideia e atá acho que dava um belo conto  ;) Fernado Pessoa o Zombie em busca de vingança por lhe terem alterado a ortografia  ;D




Precisamente. Então imagina agora o Fernando Pessoa sair da sepultura como retornado do Mundo dos Mortos e descobrir A Mensagem com o Acordo Ortográfico de 1990. XD XD Era só ver o Pessoa aterrorizar o Houssais e a Edite Estrela.  8) Que o Secretariado da Cultura (sim temos um secretariado para a cultura...) que se cuide, pois vem aí o Albertino Romero (que seria o novo heterónimo de Pessoa como revenant).

Vou já anotar a ideia no meu bloco-de-notas.   ;D
Brevemente Diábolos, o Rapaz-Diabo.

Silent Hill 2 é o melhor videojogo de Fantástico.

Dentro de cada um de nós existe um animal prestes a ser despertado.

Salazarismo e Extrema-direita Sucks -.-'

Offline Fernando Pinheiro

  • Sou um anjo-caído ou demónio se preferirem. Também sou o "sociopata" de Almada :D
  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 2498
  • Um escritor ecléctico.
    • Ver Perfil
Re: Acordo Ortográfico - Alterações e Aplicação nos livros
« Responder #91 em: Março 29, 2015, 22:26:19 pm »





Mas depende da palavra, e depende se achas que a fonética é importante só no português oral e em diálogos (nos contos ou romances) e a etimologia é só importante na maneira como se escreve e na narração (é o meu caso).


A fonética é até mais importante nos nossos dias porque hoje em dia, felizmente, a maioria da população é alfabetizada, ao contrario do que acontecia à 100 anos, ou mesmo à 40 anos. Uma gramática lógica (não confundir com simplista) onde se uni-se a ortografia com a fonética seria muito bom para todos os falantes. Por exemplo o G lê-se G, mas só com as letras A, O e U, se for com o E e I lê-se J e por que raio o S tem de se ler Z no meio de duas vogais quando já temos a letra Z? Alias antes de 1911 escrevia-se caza.

Eu gosto muito da etimologia, acho muito interessante saber de onde "sairam" as palavras mas acho que "ela" impõe muitas excepções. Como eu já dizia à muitos anos (e bem antes desta polémica ter "rebentado"): "A Língua Portuguesa não tem regras com com excepções, mas sim excepções com regras".





Para mim excepções inclui por exemplo muito (que não precisa do Y) ou um (que não precisa de H nenhum). Casa estará mais correcto porque em latim eles escreviam com S. Mas sim acho que noutras palavras deveria ser com Z invés de S. Azeite ainda é com Z, pois ela não vem do latim, mas sim do árabe, e é por isso que escrevemos azeite e não aseite.
Brevemente Diábolos, o Rapaz-Diabo.

Silent Hill 2 é o melhor videojogo de Fantástico.

Dentro de cada um de nós existe um animal prestes a ser despertado.

Salazarismo e Extrema-direita Sucks -.-'

Offline Fernando Pinheiro

  • Sou um anjo-caído ou demónio se preferirem. Também sou o "sociopata" de Almada :D
  • Bibliófilo
  • ******
  • Mensagens: 2498
  • Um escritor ecléctico.
    • Ver Perfil
Re: Acordo Ortográfico - Alterações e Aplicação nos livros
« Responder #92 em: Março 29, 2015, 22:44:15 pm »





Eu por exemplo pronuncio o p de Egipto, e já conheci pessoas que fazem o mesmo. Nem toda a gente diz Egito, apesar da maior parte dizê-lo. Escrever Egito é algo que me faz confusão.

Mas não é suposto ser uma consoante muda? Claro que faz confusão, a ti e a mim, mas apenas porque aprendemos de uma maneira e estamos habituados a ela.

É, supostamente. Temos zonas regionais em Portugal onde se pronuncia palavras de maneiras totalmente diferentes, é provável que Egipto com o P pronunciado venha duma dessas regiões, já que na zona onde moro em Lisboa e Almada uns dizem Egito, outros dizem Egipto. Eu devo ter apanhado Egipto com o P sonoro algures (como agora vem tudo morar para o Porto e Lisboa). No Porto dizem abêlha e libro. Aqui onde moro, dizemos abâlha e livro.  Acho que devemos ter palavras que respeitem tanto a fonética e etimologia. Um equilíbrio. E os acordos-ortográficos nem sempre respeitam isso. Ou são demasiado etimológicos, ou demasiado fonéticos como é o caso do Acordo de 1990.

Imaginemos que estamos a escrever um livro. Libro e dezôito para diálogos de personagens do Porto e livro e dezóito para diálogos de personagens de Lisboa. Na narração era simplesmente livro e dezoito.
Brevemente Diábolos, o Rapaz-Diabo.

Silent Hill 2 é o melhor videojogo de Fantástico.

Dentro de cada um de nós existe um animal prestes a ser despertado.

Salazarismo e Extrema-direita Sucks -.-'

Offline tellos0

  • Leitor Inveterado
  • ***
  • Mensagens: 305
    • Ver Perfil
Re: Acordo Ortográfico - Alterações e Aplicação nos livros
« Responder #93 em: Abril 07, 2015, 12:16:18 pm »
Lendo as respostas por alto, há que adorar a ponta de hipocrisia que se nota em alguns posts, quer seja propositada ou não ;)

Mas a discussão é interessante e merece uma leitura mais atenta (estou quase de direta e a trabalhar).